O TESTEMUNHO DO SALVO (parte III)

III – TESTEMUNHAR É NOSSA MISSÃO

Testemunhar é uma tarefa minha e sua: o verbo testemunhar, no grego é martyreo que significa “confirmar, testificar de algo a partir da experiência”. Testemunho, martyria, denota o ato de testificar a partir do próprio conteúdo ou de uma convicção.

1- Jesus requer de nós submissão completa – “Crês tu que Deus é um só? Faze bem; os demônios também o creem, e estremecem. Queres saber, ó homem vão, a fé sem as obras é estéril” – Tiago 2.19/20. O cristão como sal da terra e luz do mundo, não só deve ser diferente, mas seu comportamento como um Salvo deve ser um referencial para a sociedade. Um arquétipo!
a) a escuridão não consegue jamais prevalecer diante da luz. Quando esta chega, as trevas desaparecem; b) por outro lado, a ausência absoluta de luz permite que a escuridão prevaleça em termos absolutos de modo que nada fica visível aos olhos humanos. Por isso, a afirmação peremptória do Mestre: “Vós sois a luz do mundo” (v.14). Ou seja, o meio dos homens conhecerem na prática a verdade divina é através do testemunho de cada crente. Não basta dar testemunho apenas, mas é preciso ser também testemunha e viver o evangelho de maneira plena, praticando o que se prega e tendo a manifestação do agir do Espírito Santo de Deus como selo de autenticidade para nossa pregação.

2- A prática deve ser amiga íntima da teoria. Para que tenhamos uma vida cristã bem sucedida temos que desenvolver as qualidades do Fruto do Espírito implantadas em nós quando de nossa conversão: “amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, amabilidade e domínio próprio” – Gál. 5.22/23.

3- Temos de desenvolver nossos talentos ou dons espirituais – I Cor. 12; Rom. 12; Ef. 4. O Fruto do Espírito será a luz para as nações enquanto os dons serão o sal a dar sabor a nossa relação com os ainda não Salvos. – “Para que sejais irrepreensíveis e sinceros filhos de Deus inculpáveis e irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual res –
plandeceis como astros no mundo” – Filip 2.15.

O caráter antecede o testemunho para que haja crédito por parte de quem ouve. A luz é o testemunho e não se mistura. Ela Ilumina. Ilumina lixo, sujeira, lamaçal, e não se contamina. Ilumina até os opacos para que sejam vistos – Jo. 17.14-20. Deus quer ver Sua imagem em você.

O Senhor JESUS nos chamou para sermos “sal” e “luz” nesse mundo tenebroso. Uma das propriedades do sal é “preservar”. O crente está neste mundo para preservá-lo da corrupção do pecado. Como “luz” fomos chamados para iluminar as trevas e apontar o caminho que pode levar ao céu. Fomos salvos e chamados pelo Senhor Jesus não apenas para usufruir dos benefícios da salvação, mas para testemunhar. Coloquemo-nos como luz em meio às trevas, como astros a refletir a luz de Cristo. Cristo pode mudar o teu SER, a prova que te dou é que mudou o meu, não vês que sou feliz servindo ao Senhor? Malaquias 3:3 diz: ”E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata…” No refinar da prata, é preciso que a segure bem no centro da chama, onde é mais quente e queima-se as impurezas. Mantem-se os olhos na prata o tempo todo que ela estivesse nas chamas. Se a prata ficar um minuto a mais no fogo é destruída. Quando a prata está totalmente refinada vê-se imagem nela de quem a está segurando no fogo. ”será que poderíamos dizer: quem me vê a mim, vê jesus? oh! meu deus, tenha misericórdia de todos nós!

Isaías em Xique-Xique. “Interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de Deus, respondeu-lhes dizendo: O Reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o Reino de Deus está entre vós” – Luc. 17.20. Se a vossa justiça. A justiça dos escribas e dos fariseus era exclusivamente exterior. Eles observavam muitas regras, oravam, cantavam, jejuavam, liam as Escrituras e frequentavam os cultos nas sinagogas. No entanto, substituíam as atitudes interiores corretas pelas aparências externas. JESUS declara aqui que a justiça que DEUS requer do crente vai além disso. O coração e o espírito, e não somente os atos externos devem conformar-se com a vontade de DEUS, na fé e no amor. – Temos um compromisso. Há por aí um evangelho fácil e descomprometido com DEUS, com sua Palavra e com a igreja, onde o deslumbramento de práticas ritualistas está de mãos dadas com a superficialidade da fé ao mesmo tempo em que a visão materialista da vida cristã toma o lugar da renúncia exigida por Cristo e vislumbrada nas bem-aventuranças – Mat. 16. 24-26. Todavia, o compromisso de viver os princípios do Reino com todas as suas implicações é parte da relevância do crente no mundo.

c) A terceira é a do serviço. Há três palavras gregas no livro de Atos fortemente relacionadas à relevância cristã: Martiria tem a ver com a disposição do discípulo de CRISTO de dar a própria vida pela causa do evangelho; koinonia define todos os aspectos que envolvem a
comunhão entre os crentes, e diaconia expressa em sua dimensão mais profunda o serviço que os salvos dedicam ao próximo. Servir, portanto, é a decorrência natural quando se experimentam a martiria e a koinonia.

4- Somos cartas vivas de cristo ao mundo – II Cor. 4.1,2. Pelo que, tendo este ministério, assim como já alcançamos misericórdia, não desfalecemos; pelo contrário, rejeitamos as coisas ocultas, que são vergonhosas, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus para subterfúgios; mas, pela manifestação da verdade, nós nos recomendamos à consciência de todos os homens diante de Deus. Você pode se recomendar a si mesmo diante dos homens, como exemplo de cristão? Moço, você é Jesus? A mulher no ônibus pata Belém na primeira e segunda viagens.

Podemos concluir, através desse magistral sermão que, se quisermos alcançar a felicidade nesta vida e a eternidade, não nos resta alternativa, senão, atentarmos para todos os sublimes ensinamentos do majestoso Filho de Deus. Devemos reconhecer que o único meio para viver o eleva do padrão ético desejado por Deus para o seu povo é a graça.

CONCLUSÃO:

Os ouvintes de Cristo o compreenderam e se admiraram de sua doutrina – Mat. 7.28. O propósito de Cristo é que as exigências espirituais da Lei de Deus se cumpram na vida de seus seguidores – Rom. 3.8.4. Devemos viver como sal e não como doce na sociedade corrompida em que vive- mos. Sal na ferida dói, mas sara. Não concordemos e nem apoiemos mais os pecados dessa geração perversa.

Devemos brilhar, levar luz onde há trevas e não apenas ficarmos esperando os prisioneiros das trevas virem para a luz. Podemos concluir, através desse magistral sermão que, se quisermos alcançar a felicidade nesta vida e a eternidade, não
nos resta alternativa, senão, atentarmos para todos os sublimes ensinamentos do majestoso Filho de Deus. Devemos reconhecer que o único meio para viver o elevado padrão ético por Deus para o seu povo é a graça divina. Mas o amor é o maior testemunho do Salvo. Nenhum testemunho é eficaz, a menos que seja feito em amor. Sem amor, diz Paulo aos coríntios, nada faz sentido – I Cor. 13. Ao contrário do que muitos pensam, seguir a Jesus e submeter-se ao seu Reino não significa anular nossa vida pessoal, mas descobrir uma nova dimensão de vida; mais profunda, dinâmica, feliz e em Amor. AMÉM!!!

Pr. Isaías Próspero Duarte

Fonte: livro – Corações Ardentes [#ARAGUATINS – TO, 19/11/17 – PIBTO – ABNT.]

Abrir chat
Precisa de ajuda?